Pequenos espaços, grandes jardins

| 2 Comments

Share on TwitterShare via email

Entrevista com a paisagista Clarice Kröeff Bergesch

A decoração de um jardim precisa ser elaborada de uma forma cuidadosa, para  que o espaço fique agradável e acolhedor. Para tanto exige algumas técnicas, pois cada ambiente é uma possibilidade. Por isso é importante a presença de um profissional.

Em tempos de grande urbanização e verticalização dos espaços, surge a grande dúvida: é possível ter um belo jardim em um pequeno espaço?

Para a paisagista Clarice Kröeff Bergesch, criar um projeto em uma pequena casa ou apartamento é perfeitamente possível. Porém, ao contrário do que se imagina, projetar um cantinho verde não é uma tarefa tão simples assim. Exige um amplo estudo do local, pois cada detalhe influencia no projeto que será realizado.

Confira aqui a entrevista que ela concedeu ao blog da GM Móveis, explicando o que é preciso fazer para que seu lar tenha um  agradável cantinho verde.

1-     Quais os primeiros passos para se montar um jardim em um pequeno espaço? Quais estudos são feitos no local?

Em um projeto vários fatores são analisados, tais como: insolação (sol/sombra), o estilo arquitetônico da construção, umidade ou a falta dela.  O ar-condicionado também torna-se uma variável quando as plantas ficam dispostas dentro de casa. Outras características importantes são a hidrologia e drenagem do espaço e os tipos de solo existente. Tudo isso é levado em conta para a escolha das espécies.  A limitação do espaço também determinará a escolha da espécie vegetal, levando em consideração seu futuro porte, largura, altura e profundidade (esta última é referente à expansão do sistema radicular).

2-     Quais características deve ter o projeto paisagístico de um jardim em pequenos espaços?

Em  espaços pequenos, aconselho sempre um jardim sem gramados, tipo pátios, pois a grama não suportaria pisoteios constantes e, em algumas vezes, a falta de sol é insuficiente para seu desenvolvimento. Além disso, demandaria mais manutenção. O jardim-pátio é uma sala-de-estar a céu aberto, cria uma atmosfera intimista e reflexiva, agradável de estar. Na visita ao local detectamos também a expectativa do cliente e principalmente a sua rotina. Em casas com terrenos pequenos, o jardim quase sempre se resume em uma tira de espaço livre, geralmente nos fundos do terreno (mais ou menos 30m² a 50m²), por incrível que pareça é suficiente para termos um pequeno-grande-jardim. No caso da foto abaixo retrata um jardim de pequeno porte. Vejamos estas fotos:

 jardins em pequenos espaços

Antes

Esta foto mostra o espaço pouco visitado pelos donos da casa antes da intervenção. Local de sombra à meia sombra, em alguns pontos de sol pleno. Alguns procedimentos foram tomados antes da implantação. Exemplo: podas das árvores existentes e execução de uma boa drenagem, visto que, com as chuvas constantes o local alagava.

Neste exemplo, foi criado um espaço com plantas inseridas em canteiros que ladeiam os muros, dando espaço para receber uma sala a céu aberto. Foi criado um canteiro no meio do piso para quebrar o aspecto árido do cimento queimado. As plantas foram escolhidas conforme as suas necessidades, todas para ambientes de meia sombra ou sombra (mas com muita claridade): helicônia, peperômias, impatiens, bromélias, grama-preta-anã, marantas, filodendros, espada-de-são-jorge. Para a parte de mais sol foram escolhidos o hibisco-anão, o liriopes e a palmeirinha. Por fim, algumas espécies com flores que atraem beija-flores em diferentes épocas do ano, como é o caso dos hibiscos e helicônias.

jardins em pequenos espaços 2

Depois

jardins em pequenos espaços

Depois

Conforme o cliente, sempre que posso (gosto de atiçar os sentidos), sugiro uma fonte ou espelho d’água e plantas que exalam perfumes (geralmente muito sutil, para não carregar os odores da casa). A espada-de-são-jorge quando floresce cumpre bem esse papel. Nestes espaços temos que ter cuidado quanto à cheiros muito fortes, como os do jasmim.

Podemos também “brincar com o piso”. No jardim abaixo realizado em um espaço de 9 m x 2,50m, foi inserido seixos de rio com molduras que abrigam pedriscos menores. Para abastecer a cozinha que se situa ao lado do espaço, criamos uma hortinha de ervas, com troncos obtidos na podas de árvores, uma ideia de aproveitamento de material.

Neste mesmo espaço existia uma caixa d’água aparente, que recolhe a água das chuvas do telhado. Revestimos com madeira e deck.  Criamos um pergolado que abriga o cantinho do relaxamento ao som de um laguinho com água corrente. Como vemos as soluções são muitas.

 

 

 

3- Para quem mora em apartamento, a área do jardim se restringe à sacada ou é possível ter um cantinho verde na área interna?

Em apartamentos,  o tão sonhado cantinho verde não se restringe só as sacadas, são inúmeras possibilidades para se ter, basta sempre respeitar a necessidade da planta, ( a família das Aráceas, família das Piperáceas, família das Marantáceas,  são muito receptivas neste ponto). Vasos com espécies de  filodendros, comigo-ninguém-pode, marantas e calatéias, Rhapis excelsa(palmeira- rápis), Chamaedorea elegans (palmeira-bambu), Zamia pumila, Polyscias guilfoylei e Polyscias fruticosa ( árvore-da-felicidade), Sansevieria trifasciata (espada-de-são-jorge), lírio-da-paz, são uma boa pedida, mas claro, sempre em locais perto de janelas para receber claridade ou até mesmo um pouco de sol. Conforme a posição solar do apartamento pode-se cultivar até uma mini-hortinha na janela da cozinha, ou um jardim vertical (quadros-vivos) em uma das paredes da sala ou área de serviço.

O cuidado maior nestes espaços é com a ventilação. Algumas plantas resistem a espaços com ar condicionado, mas temos que dar a elas um pouco de ventilação natural e borrifar água em suas folhas já que o ar frio resseca. Exemplo de plantas resistentes: Palmeira-rápis, Zamia, Sansevieria, Chamaedorea elegans entre tantas outras.

 

 

 

 

 

 

Espaço sob escadas. Plantas como lírios-da-paz, bromélias, marantas, zâmia, fitônia, Aglaonema, foram usadas e ladeiam um espelho d’água que abriga um peixe Beta dos moradores. Com impermeabilização e lago foram gastos dois dias de implantação.

No cantinho da sacada de apartamento com samambaias, filodendros, caeté-peludo. Do recanto ecoa o barulhinho de água que vem de uma fonte feita de bambu.

 

 

 

 

 

 

4 – Quanto tempo, em média, leva para as plantas ficarem adultas e o jardim pronto?

Muitas pessoas gostam de ver a planta crescer e se tornar adulta. Se esse é o caso, opte por mudinhas e plantas jovens que são bem mais baratas. Dependendo da espécie o jardim fica formado de três meses a um ano ou mais. Além disso, a cada mês surge um ramo, um broto novo. Outras podem levar muito tempo pra crescer, neste caso aconselho plantar  a espécie mais formada. Uma boa dica é: para forração, compre mudas, para a estrutura vertical do jardim, plantas maiores.

5-Quais as dicas para cuidar bem do jardim, visto que a maioria das pessoas tem pouco tempo e procuram soluções práticas e rápidas?          

Outro quesito para se ter um espaço com plantas é a manutenção. A escolha das plantas influencia muito esse quesito. Plantas de época exigem manutenção constante, pois florescem uma vez ao ano e precisam ser trocadas. O  ideal para quem gosta de mudar as cores do jardim de tempos em tempos, se este for a caso, é fazer o plantio em vasos ou floreiras para facilitar a troca.

Quer seja em vasos ou em canteiros todas as plantas necessitam de cuidados. Regas, incorporação de substrato, adubação, podas, prevenção de pragas e moléstias. São muitos os cuidados que um jardim demanda. Para pessoas que não disponibilizam de tempo para regar, a solução é colocar um sistema de irrigação (hoje em dia existem até gotejadores para vasos, tudo automatizado). Outra necessidade é a adubação. O ideal é incorporar adubos a cada 3 ou 4 meses no solo e, para vasos adubos, solúveis na água da rega, a cada 15 dias ou mais, observando sempre a necessidade nutricional da espécie. Plantas bem nutridas são plantas sadias. Para garantir a fitossanidade e a beleza do jardim, há a necessidade de retirada das folhas secas, podas de ramos mal formados, prevenção e controle de pragas e moléstias. Para essa prevenção, produtos naturais são excelentes, como calda de fumo, óleo de Neem e outros tantos. Alguns ingredientes encontramos em nossa casa.

6-Qual a periodicidade para se contratar um profissional para auxiliar nessa manutenção?

O ideal mesmo é ter ajuda de um profissional para auxiliar nesta manutenção, o custo- benefício compensa. Dependendo do tamanho do espaço, do projeto, das plantas escolhidas e da exigência do cliente as manutenções podem ser feitas uma vez a cada dois meses, uma vez por mês ou de 15 em 15 dias. A manutenção feita por profissionais engloba não só as necessidades das plantas, mas todo o entorno que está inserido o jardim, limpeza do piso, bancos, vasos e jardineiras.

Implantação de jardim em espaço de 47m² Porto Alegre, RS

 

Clarice Kröeff Bergesch é técnica em Paisagismo e Gestão Ambiental, proprietária da Jardim com Arte – Criando Paisagens. Atua na área há mais de 15 anos, realizando trabalhos no Rio Grande do Sul ( Porto Alegre e Serra Gaúcha)  e  também em Santa Catarina (Florianópolis e cidades vizinhas).

Veja também:

2 Comments

  1. Linda entrevista. Nada como ler as técnicas de uma profissional experiente e competente. Obrigada pela ajuda. Valeu amiga!
    Bjs

    • Realmente, a entrevista ficou bem legal. A Clarice se preocupou muito com os detalhes, em deixar bem claro para o leitor as possibilidades de se criar jardins em pequenos espaços.

Leave a Reply

Required fields are marked *.

*